Sede da DEIC explode em bairro residencial


Explosão deixa uma morta e vários feridos

No fim da tarde desta quinta-feira (20), a cidade de Maceió viveu na pele a falta de trato do governo de Teotônio Vilela Filho (PSDB) com a segurança pública do estado de Alagoas. A sede da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), localizada em pleno bairro residencial, explodiu. A sede abrigava incontáveis quilos de explosivos, armamentos e munição e explodiu cerca de 60 kg deste material.
Este descaso do governo faz mais uma vítima direta, a diretora do Sindpol (Sindicato dos Policiais Civis) e policial civil Amélia Dantas, que morreu no local. Além dos muitos feridos e dos cidadãos que tiveram suas casas e locais de trabalho destruídos. Os policiais ouvidos no local afirmavam que este era um acidente anunciado.

“Deve-se situar os depósitos nos lugares mais isolados disponíveis, separados um do outro, e de estradas de ferro, rodovias, edifícios habitados”, é o que diz a Norma Regulamentadora nº 19, da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) do Ministério do Trabalho, em consonância com o Regulamento para fiscalização de produtos controlados do Exército brasileiro (R105).

Neste momento, busca-se uma resposta do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) e de seu Secretário de Defesa Social, Dário Cesar. Por que um paiol como este está em uma região residencial de tamanho trânsito de pessoas? Para onde vão os montes de dinheiro investidos neste novo Plano de Segurança dos governos Estadual e Federal? Afinal, como é encarada a questão da segurança pública do estado de Alagoas?

As respostas, contudo, já conhecemos. Pelo fato do Estado atingir os piores índices de violência urbana, o governo PSDB injetou dinheiro (mostrando que a falta de investimento nas necessidades básicas dos trabalhadores, como saúde e educação, não é a falta desse) em armas e policiamento. Ao mesmo tempo, Téo Vilela tapou os ouvidos às reivindicações dos policiais civis, referentes aos Planos de Cargos, Carreira e Subsídios, além da melhoria nas precárias condições de trabalho na segurança pública.

Não conseguiremos resolver os problemas da segurança pública com mais policiamento e armas. É preciso dar um basta a esta política do governo PSDB!

Nossas condolências à família da sindicalista e policial civil Amélia Dantas. Agora cabe cobrarmos para que seja dos sindicatos, associações de moradores e movimentos sociais o controle de toda a organização policial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário