Soterramento mata operário da construção civil em Maceió



No dia 10 de dezembro de 2012, mais um número deve ser acrescentado aos tantos que já existem quando o assunto é acidente de trabalho seguido de morte no estado de Alagoas. Um soterramento matou Divanilson de 32 anos, operário da construção civil, no Benedito Bentes II, no conjunto José Aprígio Vilela. 
Essa não é a realidade somente do nosso estado. Todos os dias morrem mais de um trabalhador na construção civil no Brasil. Considerando somente os casos que são registrados dentro do número detrabalhadores que tem carteira assinada. Ou seja, este número é ainda maior.
Somente entre maio e agosto deste ano foram registrados quatro acidentes de trabalho graves em Alagoas, segundo o sindicato da categoria. Dois trabalhadores também foram soterrados na construção do shopping Arapiraca no dia 24 de Agosto. Um operário passa bem e outro ainda está se recuperando lentamente.
Um soterramento pode ser evitado tomando medidas de segurança simples, como a colocação de barreiras que impeçam o deslizamento da terra de volta para o buraco de onde ela foi retirada. Porém,os patrões não se preocupam com isso. Preferem investir em coisas que levem ao aumento do seu lucro. A vida do trabalhador não é prioridade.
São os operários que constroem o lucro dos patrões e que sustentam sua vida luxuosa com carros importados e apartamentos a beira-mar, enquanto o trabalhador vive com baixos salários e péssimascondições de trabalho.
O PSTU está ao lado dos trabalhadores da construção civil. Acreditamos que é possível, através da luta diária, construir uma sociedade onde não hajam explorados e exploradores. Por isso, convidamos todos e todas a conhecer o PSTU, somos um partido que está nas lutas e nas ruas e que quer transformar a sociedade em que vivemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário