Estupro não é marketing, é crime! Contra a apresentação da banda New Hit em Maceió!

Recentemente, com a notícia de um provável show da Banda baiana de Axé New Hit em Maceió, coletivos feministas, entidades estudantis como a Anel e diversas organizações se mobilizaram para barrar a vinda do grupo que é acusado de estuprar duas menores na cidade de Ruy Barbosa, no interior da Bahia no mês de Agosto de 2012.

Os oito integrantes da banda foram presos por 38 dias, porém, estão em liberdade por conta de um Habeas Corpus, e enquanto as vitimas, além de terem passado por essa violência extrema, uma das formais mais brutais de violência contra a mulher, estão acuadas em suas casas por estarem sendo ameaçadas e constrangidas pelos integrantes e produtores da banda New Hit.

Com tal fato machista, em várias cidades em que a banda se apresenta, houveram mobilizações, e em algumas delas como em Delmiro Gouveia,  cidade do interior de Alagoas, Salvador e João Pessoa, os shows foram cancelados. Aqui em Maceió está acontecendo o mesmo.

 O Coletivo Feminista Independente de Maceió que está encabeçando as mobilizações na internet contra a vinda da banda à cidade de Maceió e juntamente com outras organizações e entidades como a Anel Alagoas e o Movimento Mulheres em Luta, também estão na construção e na mobilização. E desde o dia 6 de Janeiro que há uma grande mobilização na internet e até em rádios, contra o show que está marcado para o dia 26 Chácara do Dr. Bráulio Cavalcante, no bairro do Benedito Bentes.

Com o começo da movimentação contra a apresentação da banda, as ativistas do Coletivo Feminista estão sendo alvo de xingamentos e ameaças por parte de fãs da banda New Hit, como num comentário feito no site de relacionamento Facebook, um dos fãs, diz: “era bom que você (com uma das ativistas) fosse estuprada por eles...”.

Nós, do PSTU, repudiamos tais atitudes que só demonstram e fortalecem a cultura do estupro em nossa sociedade. Uma cultura que culpabiliza a vítima por ter sido violentada e não o machista, uma cultura que constrange a vítima e não o agressor.

As meninas que foram estupradas pelos integrantes da banda New Hit não são as únicas em nosso país, nem no mundo. Em Nova Deli, capital da Índia, a cada 18h uma mulher é estuprada. Uma calamidade posta em que as mulheres estão a mercê.  Por isso, nós do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, lutamos contra a violência à mulher. Em nossa opinião, onde houver exploração, onde houver capitalismo, haverá opressão à mulher e machismo. Lutamos por mais políticas públicas em prol da saúde e segurança das mulheres, e acima de tudo, por uma nova sociedade em que as mulheres não sejam oprimidas, nem violentadas e sim, livres, uma sociedade que supere a sociedade capitalista e machista que vivemos. E chamamos a todos que se indignam com essa realidade a unificarem nessa luta contra o machismo e a barrar a apresentação da banda new hit em Maceió.

2 comentários:

  1. Estamos na luta http://veposcedoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Parabéns às ativistas do Coletivo Feminista pela bravura em enfrentar uma indústria cultural de massa que corrobora com a violência de gênero no mais alto grau. Cadeia aos estupradores e consciência para quem os defende sobre a desumanização provocada pela violência!!! Na luta contra qualquer forma de violência!!!

    ResponderExcluir