Contra os partidos dos usineiros e a tragédia do PT, Frente de Esquerda em 2014

2013 foi mais um ano de miséria e desgraça para os trabalhadores e a população pobre de Alagoas. Este é o estado com o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no Brasil, e tem 88 dos 102 municípios com IDH baixo. O estado também “lidera” o índice de analfabetismo, 21,8% dos habitantes de 15 anos ou mais não sabem ler nem escrever.

E para piorar, novamente a capital do estado apareceu como a mais violenta do país, sendo a 6°cidade mais violenta do mundo. Fechamos o ano com a fabulosa e triste taxa de 187 homicídios a cada 100 mil habitantes, ou seja, proporcionalmente se mata mais em Alagoas do que em ambientes de guerra.

Esses índices são resultados diretos dos 8 anos do Governo Teo Vilela (PSDB). E não será com a continuação desse governo ou seus aliados (PSB, DEM e PP) que iremos reverter o quadro de miséria de Alagoas. E também não será com o PT ou PCdoB que se alia a Collor (PTB) e Renan Calheiros (PMDB), antes inimigos agora aliados que irão aprofundar a desgraça alagoana.

A única possibilidade de mudança em Alagoas é a que for construída com um programa socialista e dos trabalhadores.

Por isso, na próxima terça-feira, 15 de abril, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e o Partido do Socialismo e Liberdade (PSOL) farão o lançamento da Frente de Esquerda. 

Nós do PSTU reafirmamos a importância da esquerda seguir em unidade, para enfrentar os partidos dos usineiros e a tragédia do PT. Para tanto, reforçamos o chamado ao PCB, para que juntos possamos construir uma alternativa política da esquerda socialista em Alagoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário