A realidade das LGBTs e necessidade de resgatar o espirito de Stonewall


O PSTU Alagoas realizou uma mesa sobre a realidade das LGBTs e o resgate do espírito de Stonewall na última sexta-feira (03/07). Flávio Bandeira, da Secretaria Nacional LGBT do PSTU, Lu Araújo, do PSTU/AL, e Elson Lima, do comitê Regional LGBT do PSTU/AL, debateram esses temas com a participação de cerca de sessenta pessoas.


Lu Araújo

A violência LGBTfóbica é crescente no Brasil. Nos últimos anos, os assassinatos de LGBTs tiveram um aumento de 300%; somente em 2014 foram registrados 326 assassinatos e 9 suicídios¹. Mesmo com a subnotificação desses crimes, nosso país é campeão mundial em homicídios motivados por homofobia e transfobia, com 50% dos casos². “Diante dessa realidade brutal, o Governo do PT se abstém de fazer qualquer debate sério. Dilma propiciou o arquivamento do PL 122/06, que criminalizava a homofobia e a transfobia; e vetou a cartilha que pretendia discutir diversidade e LGBTfobia. Temos que ir a luta e reverter essa situação. Temos que lutar por pautas democráticas, que permitam a igualdade jurídica, sabendo que a única possibilidade de emancipação é o socialismo”, explicou Lu Araújo.


Elson Lima, membro do comitê LGBT regional do PSTU/AL

Elson Lima relatou que “Pode parecer bobagem, mas o simples fato de ir pras ruas, pra nós, exige muito esforço. Eu sou gay. Imagine para uma travesti. Imagine para uma mulher lésbica, que pode sofrer estupro de punição. Imagine para uma mulher transexual, que é vista como um monstro por essa sociedade. O que me dá forças nesses momentos de medo é pensar que é exatamente assim que o sistema capitalista quer que eu me sinta. Com medo, medo de me posicionar, medo de lutar pelas minhas causas. Militando diariamente, o medo aumenta, mas a coragem também”.


Flávio Bandeira, da Secretaria Nacional LGBT do PSTU



“A luta dos setores oprimidos tem que ser parte da luta sindical e estudantil. A ideologia capitalista fragmenta as lutas dos trabalhadores, dividindo em movimento de mulheres, negros, LGBTs. Nosso esforço como partido político é unir a nossa luta. Para o PSTU, a tarefa de construir um projeto revolucionário e socialista e de organizar a luta dos oprimidos está na ordem do dia”, afirmou Flávio Bandeira.

No evento, também foi relançado o livro "Homossexualidade: da Opressão à Libertação", de Hiro Okita. “Esse relançamento é um esforço político para enfrentar a nossa realidade e encontrarmos nossa história. A discussão do livro é muito atual, apesar fazerem três décadas desde o seu primeiro lançamento. O livro aborda como organizar as LGBTS, um grupo que sofre assassinatos todo dia”, esclareceu Flávio.

Assista a trecho do lançamento do livro e da mesa no link abaixo:





 1 e 2 . Dados do Relatório de Assassinatos de LGBTs no Brasil de 2014, feito pelo Grupo Gay da Bahia (GGB). Disponível em: https://homofobiamata.files.wordpress.com/2015/01/relatc3b3rio-2014s.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário